quinta-feira, abril 05, 2007

OS MUSEUS E A PÁSCOA


Nos últimos 5 dias recebi quase duas dezenas de mails de vigilantes-recepcionistas de museus, palácios e monumentos falando sobre os seus problemas e sobre o que pensavam sobre uma possível greve na Páscoa. Primeiro fiquei admirado pois não conhecia alguns dos que me escreveram, mas depressa conclui que foi porque diversas vezes aqui falei dos seus problemas.
Os problemas que levaram a que estes profissionais tivessem feito greve nesta altura durante anos a fio, aguardam ainda resolução, isto é um facto que não abona a favor desta ministra da Cultura e também dos seus antecessores. Os horários continuam a não existir, o anterior diploma de carreiras foi mal aplicado e não houve correcção, os quadros de pessoal desta carreira são comprovadamente insuficientes e o ministério nem sequer arranjou tempo, ou demonstrou vontade em dialogar com estes funcionários, o que é demonstrativo do desprezo que mostra em relação aos trabalhadores que asseguram a abertura destes serviços ao público e ficam responsáveis pelo património à sua guarda, mesmo quando todos os outros funcionários passam os sábados domingos, feriados e pontes em casa com os seus familiares. Os vigilantes são os que auferem salários mais baixos neste ministério e são os que, com sacrifício das suas relações familiares, asseguram o funcionamento dos museus, palácios e monumentos, sem a presença das chefias durante mais de 110 dias por ano.
Motivos para fazer greve há muitos, mas os baixos vencimentos pesam e de que maneira, sobretudo se tiverem de descontar dias de greve. Nenhum dos vigilantes que me contactou aludiu ao facto de se estar a guardar para aderir a uma greve geral, pelo contrário manifestaram o seu desagrado por um dirigente sindical ter avançado com essa ideia peregrina.
Não vai haver greve nesta Páscoa, isso é um dado assente embora alguns tenham manifestado o desagrado por não ter sido marcada, a possível adesão a uma greve da função pública não foi abordada como opção, mas manifestaram quase todos intenção de fazer uma greve de vários dias, no Verão (Agosto), caso a sua situação não melhore e os horários não sejam definidos.A todos agradeço o manancial de informação fornecida, mas devo deixar um aviso sobre a senhora ministra da Cultura: ela não deverá manifestar vontade em receber-vos, como aconteceu até ao presente, e ou vocês apontam para outro interlocutor ou penso que terão mesmo de ENCERRAR AS PORTAS DOS MUSEUS, PALÁCIOS E MONUMENTOS DURANTE UMA SEMANA para que alguém se disponha a receber-vos.


********

Flores


********

Cartoon
Ferreira dos Santos

3 comentários:

Batalhense disse...

É iiso mesmo, isto só lá vai com uma greve grande ou então com publicidade paga em jornais estrangeirose mails para os grandes agentes de viagem estrangeiros que operam no nosso país. Esse gajo do sindicato pensa pouco, mal e vermelho... não devia lá estar.

Zé Povinho disse...

Também recebi as mensagens dos funcionários dos museus e prometo botar faladura antes de dar o pulo.

Vigilante disse...

O borrego do sindicato é pior do que a ministra. Haverá alguém que o ponha a mexer? De política estamos cheios, a fazer barulho vamos mas é deitar a casa abaixo, nem que seja preciso parar durante uma semana ou mais. A sugestão da publicidade para o exterior até que é boa e conheço quem domina esses canais, é só combinar.