quinta-feira, março 15, 2007

RECLAMAMOS ÀS VEZES SEM RAZÃO

É frequente ouvirmos queixas dos serviços públicos e ataques cerrados aos funcionários que prestam serviços de atendimento directo ao público. Em geral as pessoas queixam-se de morosidade, excesso de burocracia e falta de boa vontade.
Nos tempos que correm grande parte dos serviços ditos públicos, são na realidade prestados por grandes empresas, cotadas em banca e maioritariamente de capitais privados. Por exemplo os transportes públicos, a EDP, a PT e outras, prestam serviço público mas já pouco ou nada têm a ver com o funcionalismo público.
O atendimento ao público é uma tarefa mais complexa do que muitos pensam, geralmente mal remunerada, e que obriga o funcionário a defender a imagem do serviço ao mesmo tempo que serve um cliente/utente. Com muita frequência o interesse do cliente/utente é incompatível com as regras impostas pelos serviços e a insatisfação é quase inevitável, conduzindo frequentes vezes a discussões e queixas que complicam ainda mais a vida de quem atende, pois há chefias que nem permitem a sua defesa pois partem do princípio, quantas vezes errado, de que o cliente/utente tem sempre razão.
O stress dos nossos tempos, e alguma falta de civismo à mistura, é responsável por grande parte destes conflitos e das reclamações ou desabafos que todos temos. O que é perigoso e injusto é atirarmos sempre a culpa para os outros especialmente quando sabemos que estão numa posição onde não podem, nem devem, responder na mesma moeda.

*******
Foto

*******

Humor Internacional

3 comentários:

Joca disse...

A falta de civismo não existe só na estrada, e o atendimento do público é uma tarefa desvalorizada pelos que complicam, fazem os regulamentos mas NUNCA são responsáveis por nada -Patrões ou drigentes máximos de empresas ou da máquina do Estado.
Um bom post.

Anónimo disse...

O pessoal é geralmente mal disposto quando não consegue o que quer, por isso alguém tem de levar com as culpas. É sempre quem está do lado de lá do balcão, claro.
Ter razão? O que é isso? O cliente tem sempre razão, masmo quando é uma besta.

Ana disse...

Já que Jesus também é mencionado hoje fica a parábola: é mais fácil ver o cisco no olho do vizinho do que a trave no nosso olho.