segunda-feira, março 12, 2007

INCENDIÁRIOS AO TECLADO

Há colunistas que leio, não só porque escrevem nos jornais que consulto, mas sobretudo pela curiosidade que tenho sobre o modo como encaram a nossa sociedade. João César das Neves é um deles, não porque concorde geralmente com a sua opinião, antes muito pelo contrário.
Esta semana o colunista do DN escreveu um artigo intitulado “Um mundo de caricaturas” que até nem era, até metade, muito polémico, mas que daí para a frente esbarrou numa crítica absurda e incompreensível.
A escrita deste professor universitário reflecte a sua maneira de ver e encarar o mundo e é tão válida e respeitável como a de qualquer outro cidadão, rapazola ou taxista. O estilo pode ser mais refinado mas a sua opinião sobre a sociedade tem para mim o mesmo valor que a destes.
Quanto à violência dos blogues, comparável aos piores panfletos de Mao, devo dizer que ninguém dá grande importância a esse tipo de escritos e que quem procura informação, sabe seleccionar as suas leituras e dá-lhes crédito apenas quando a experiência assim o aconselha. Isto passa-se também nos jornais e nos outros órgãos de comunicação como é natural. Por incrível que pareça, sei de, pelo menos dois amigos que não compram o DN à segunda-feira por nesse dia saírem duas colunas de dois comentadores que detestam e um deles é precisamente JCN. Eu pelo contrário, embora também não partilhe as suas ideias, leio-o com curiosidade, crítica é certo, mas leio.
Acredito que haja quem fique confuso com a quantidade de informação que hoje temos à nossa disposição, mas certamente que não será um professor universitário, creio eu. A propósito, não se ofenda com os que o criticam, porque a opinião ainda é livre.

*******
Fotos
ANTON KRAVCHENKO - http://www.photosight.ru

Alexander Kozhevnikov - http://www.photosight.ru

*******

Cartoon

3 comentários:

Anónimo disse...

Olha se um blog viesse dizer que o aborto ía ser tão corriqueiro como o telemóvel? Deixava de ser incendiário para ser bombista, pelo menos!

Aninhas disse...

JCN fica muito bem faca-a-face com Luís Delgado, têm o mesmo (des)interesse.

Aninhas disse...

Perdão: face-a-face...