sexta-feira, março 16, 2007

BRINCANDO COM NÚMEROS E PESSOAS

Já comentei a minha desconfiança em estatísticas isoladas do contexto de análise, e cada dia que passa estou mais céptico. Hoje ouvi falar de números do desemprego e da sua diminuição, pelo menos no que concerne a subsídios pagos.
O factor que mais pesa no fraco desenvolvimento da economia é, na minha modesta opinião, o desemprego. Quem lê jornais, ouve a rádio ou vê a televisão ouve com demasiada frequência, notícias sobre encerramentos de empresas, grandes e com muitos funcionários porque essas são notícia, e não consta que este fenómeno tenha diminuído, bem pelo contrário. Passando à porta dos Centros de Emprego pela manhã todos podem ver bichas à porta e, ou apesar disso, um governante vem dizer que o número de desempregados diminuiu ligeiramente.
Esta notícia, sobre a diminuição ligeira do número de desempregados, vem a lume logo a seguir a uma outra sobre portugueses libertados da condição de escravatura, em Espanha. Não é a primeira notícia deste género, tanto em Espanha como em Inglaterra ou noutros países.
Não sei se uma notícia desencadeou a outra, mas o que sei é que este pequeno fogo de artifício, da diminuição do número de subsídios de desemprego, não esconde a realidade do país, que obriga muitos portugueses a partirem para o estrangeiro na esperança de fazerem uma vida digna e com melhores recursos, porque por cá não lhes é proporcionada nenhuma oportunidade de emprego aceitável. Se vão iludidos, ou se são ingénuos e propensos a ser enganados é uma outra questão, que apenas demonstra que há muito desespero à mistura.
*******
Foto Kamasutra

*******

Cartoon Internacional

3 comentários:

Anónimo disse...

Somos explorados cá dentro e lá fora. Sobre os portugueses libertados da escravatura alguém ouviu uma palavra dos nossos governantes? Parece que agora estão em parte incerta, será que as nossas autoridades estão em campo?

Chico Zé disse...

Variedade no humor.
Bons post's

Lol disse...

O desemprego não baixou, o que diminuiu foi o número dos beneficiários do subsídio de desemprego. Sabem que ao fim de um determinado tempo este subsídio acaba e como não há muitas ofertas de emprego, cada vez há mais gente desempregada mas já sem direito a subsídio.