domingo, julho 03, 2005

SOLUÇÕES ?

A falta de pessoal que mais afecta os museus, palácios e monumentos é nas áreas da vigilância e de pessoal operário, sobre este assunto só houve uma solução de recurso, melhor dizendo temporária, empurrando-se assim, com a barriga, o problema para o próximo ano. Não sei se os responsáveis da Cultura ficaram aliviados, mas no terreno encaramos todos esta situação como um mero remendo que não soluciona os problemas nem assegura a passagem do testemunho de funcionários em grande parte no final das suas carreiras.
As medidas anunciadas na comunicação social, a propósito do acordo com o Ministério da Educação, servirá ao que tudo indica, apenas para colmatar algumas vagas (não sei se as há) nos serviços educativos de alguns serviços. A dita parceria inédita entre os dois ministérios tem pois um alcance muito reduzido em termos de funcionamento, a menos que se pense transformar o M.C. num estágio anterior ao quadro de excedentes.
Pode parecer que haja alguma má vontade para com os professores, o que nem vem ao caso, mas conhecendo nós o carácter sazonal das visitas de estudo programadas pelas nossas escolas, duvidamos que sejam necessários muitos reforços para os serviços. Outras áreas, dentro do âmbito da formação de alguns professores, talvez fossem de dinamizar, por exemplo na investigação e na formação de pessoal.
O Ministério da Cultura tinha muito a ganhar debatendo com “todos “ os profissionais do sector para identificar melhor as necessidades dos serviços, não restringindo o diálogo apenas às chefias, que apesar de tudo já deram o seu contributo recentemente.

Sem comentários: